Candidato a prefeito em Trizidela do Vale é suspeito de fraude no SUS

Candidato a prefeito em Trizidela do Vale é suspeito de fraude no SUS

Sem trabalhar como médico por conta da corrida agenda de campanha, Deibson Balé, que que atua na Estratégia Saúde da Família (ESF), continua recebendo verba ilegal do SUS em Joselândia

O candidato a prefeito de Trizidela do Vale, Deibson Balé (PDT), declarou essa semana, durante programa no horário eleitoral gratuito veiculado na TV Rio Flores, afiliada à RedeTV na região, que como médico sabe das necessidades da sua gente e afirmou que tem a receita para melhorar a saúde do município.

O problema, entretanto, é que a declaração de Dr. Deibson lembra o ditado popular “casa de ferreiro, espeto de pau”, expressão usada quando se quer dizer que uma pessoa hábil em determinada coisa, não usa essa habilidade a seu favor.

O prefeiturável do partido do prepotente senador Weverton Rocha é suspeito de fraude no Sistema Único de Saúde (SUS), que deveria assegurar o pleno atendimento médico-hospitalar à população. Deibson, que foi eleito vice-prefeito trizidelense em 2016, é médico do Estratégia Saúde da Família (ESF) no município de Joselândia, distante a 64,1 km de Trizidela do Vale.

Desde que registrou candidatura para disputar o comando da prefeitura trizidelense, Deibson que vem repetindo práticas do seu pai ficha suja – Jânio Balé, não conseguiu mais cumprir sua escala de plantão. Sem trabalhar como médico por conta da corrida agenda de campanha, o candidato a prefeito do 12, estaria recebendo verba ilegal do SUS em Joselândia.

Um levantamento junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES, a reportagem apurou que ele possui dois vínculos com o SUS: um como médico do Estratégia Saúde da Família (ESF) e outro como médico em radiologia e diagnóstico por imagem.

No primeiro vinculo, deveria trabalhar 40 horas semanais no Centro de Saúde Marly Sarney PSFSB, localizado na Rua Mendes Pereira S/N, no Centro de Joselândia – MA. Já no segundo vinculo, deveria cumprir jornada de 8 horas semanais na Unidade Mista Santa Marta, localizada na Rua Francisco Vieira, também no mesmo município. Os dois veículos totalizam carga horária de 48 horas semanais, nos dois estabelecimentos de saúde.

Há quase três meses atuando como candidato a prefeito, o médico deveria aparecer no cadastro de profissionais como desligado. Porém, conforme o SUS, Deibson embora não esteja exercendo suas funções – por conta dos compromissos de campanha, mesmo assim teve seu cadastro atualizado no mês passado, conforme documentos em anexo.

Enquanto Deibson faz campanha em Trizidela do Vale, quem precisa de atendimento em Joselândia, tem que recorrer aos municípios vizinhos. Os motivos: falta de médicos para atender a população. Ou seja, o médico- candidato que “sabe das necessidades da sua gente” é o mesmo que deixa milhares de pacientes sem atendimento em outra cidade.

we

CANDIDATO ONIPRESENTE
Engana-se quem pensa que Joselândia é o único lugar onde Deibson acumula vínculos como médico. A reportagem apura uma outra informação: a de que ele é uma espécie de onipresente, capacidade de estar em todos os lugares ao mesmo tempo.

De acordo com informação que está sendo apurada, o candidato a prefeito de Trizidela do Vale, estaria trabalhando em mais de cinco municípios, entretanto, sem vínculo com o poder público e prestando serviço a empresas ou cooperativas que fornecem mão de obras para unidades de saúde. Os mistérios por trás desse outro escândalo iremos desvendar nos próximos dias. Aguardem!

 

Leia mais notícias em www.dalvanamendes.com e siga nossas páginas no Facebook, no YouTube e no Instagram. Envie informações à Redação do Blog por WhatsApp pelo telefone (98) 98784-1834.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *