Astro de Ogum volta a cobrar Plano Diretor e critica Intolerância Religiosa em São Luís

Astro de Ogum volta a cobrar Plano Diretor e critica Intolerância Religiosa em São Luís

Em discurso proferido na tribuna da Câmara Municipal de São Luís, na sessão desta quarta-feira (21), o vereador e presidente da Comissão de Mobilidade Urbana, Regulação Fundiária e Ocupação do Solo Urbano, Astro de Ogum (PCdoB), criticou a ausência do Plano Diretor na Casa e defendeu o combate à intolerância religiosa.

“Ainda estamos aguardando o projeto do Plano Diretor, não sabemos onde ele estar, é o assunto mais importante da atualidade na nossa cidade. O município de São Luís e o estado também serão beneficiados. Somos uma comissão de cinco vereadores, mas vamos trabalhar com o Plano Diretor de forma macro, inclusive com a presença do Ministério Público. Esta Casa Legislativa precisa fazer o trabalho dela, por isso, precisamos focar no plano diretor, para conseguimos resolver até outubro’, disse Astro.

O vereador lembrou que o último Plano Diretor está desatualizado. É a Lei 4.669 de 2006.

“O Plano Diretor é arcaico, é do ano de 2006. Infelizmente atual planta de valores de São Luís, segundo informações técnicas, é de R$ 14 bilhões, mas com atualização do plano diretor ela sobe para R$ 180 bilhões″, declarou.

Intolerância Religiosa

Por fim, Astro de Ogum, que atua há mais de três décadas como pai de santo na capital maranhense e já foi presidente da Federação Afrodescendente no Maranhão, mais uma vez se manifestou contra a intolerância religiosa.

“A intolerância religiosa tem acontecido com muita frequência ataques aos terreiros de matriz africana, por isso, estamos tomando algumas medidas junto às secretarias e outros órgãos de defesa”, alertou o parlamentar em discurso.

Leia mais notícias em www.dalvanamendes.com e siga nossas páginas no Facebook, no YouTube e no Instagram. Envie informações à Redação do Blog por WhatsApp pelo telefone (98) 98784-1834.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *