Vice de Robson Cheira questiona patrimônio do aliado e o acusa de estelionato previdenciário

Vice de Robson Cheira questiona patrimônio do aliado e o acusa de estelionato previdenciário

Diga-me com quem andas que eu direi quem tu és. Este é um ditado popular que nunca fez tanto sentido como faz agora, para aqueles que acompanham os bastidores da política, em Bequimão. Desde que anunciou que seria vice na chapa que tem Robson Cheira (PL), o “Cheira Sunga”, como candidato a prefeito do município, Nestor Júnior (Avante), conhecido como “Sinhô”, provocou profundas reflexões na população bequimãoense sobre o que teria levado o ex-vereador a se aliar a alguém que julgava ter práticas condenáveis aos olhos da justiça e do correto exercício da função pública.

O áudio de uma entrevista concedida por Nestor Júnior ao programa “A Hora da Verdade”, do radialista João Morais, revela aquilo que o ex-vereador realmente pensa a respeito do companheiro de chapa, Robson Cheira, e que hoje ele tenta esconder a todo custo da população de Bequimão. A conversa, que circula em aplicativo de mensagens instantâneas, contém acusações graves, feitas pelo próprio Sinhô contra o antigo colega de parlamento e atual aliado na disputa pela Prefeitura Municipal.

“Eu sou vereador. Lá, a gente ganha três mil reais. Eu tenho aquilo que posso ter: uma casa e um carro, que não é do ano. Carro de três, quatro anos, é aquilo que eu tenho. E pasmem vocês: nós temos um vereador lá (eu já tive com promotor na Polícia Federal), nós temos um vereador no nosso município que a gente pede que seja investigado, que esse rapaz seja investigado, porque uma pessoa que ganha três mil reais…Quanto é que custa uma Hilux? Acho que quase 250 mil reais”, iniciou Sinhô, solicitando investigações por parte das autoridades fiscalizadoras do Estado.

“Pra esse rapaz ter duas Hilux; moto importada; carros importados; galpões; kitnets, que não tem mais onde colocar em São Luís; casas e casas em Bequimão… [E ele não tem outra fonte de renda?] Não tem, não existe outra fonte de renda. E, pra nossa surpresa, ontem, lá na Câmara, a gente ficou sabendo, o que chegou pra gente, o que todo mundo em Bequimão tá sabendo: ele comprou um tal de ‘Baratão’ por cem mil reais. Acabou de comprar o prédio com toda a mercadoria dentro”, continuou Nestor.

“Sinhô” trouxe à tona, ainda, a conversa que teve com um representante do Ministério Público do Maranhão sobre o fato. “Então, eu falei com o promotor na semana passada. Ele [promotor] tá até respondendo pelo eleitoral aqui e a gente tem notícia que ele [Cheira Sunga] é investigado pela Polícia Federal. E isso angustia a gente, porque a informação do que se vê na prática, do dia a dia, é aquela fraude contra o INSS [Instituto Nacional do Seguro Social]”, acrescentou o ex-vereador de Bequimão.

AMEAÇAS DE MORTE
Ameaças de morte também fizeram parte do passado conturbado com Robson Cheira, revelou Sinhô na entrevista. O ex-vereador de Bequimão chegou a citar a existência de um máfia em Bequimão e pediu que a organização, bem como sua atuação, fosse desarticulada pelas autoridades competentes.

“Eu lhe digo aqui abertamente. Já mostrei na Câmara. Eu fui ameaçado por ele. Eu tive um acidente de moto ano passado. De maio a dezembro, eu fiquei em São Luís. Esporadicamente, eu vinha a Bequimão. Sentado aqui, de braço na tipóia, eu fui participar de uma sessão. Eu trouxe isso à tona. Ele me ameaçou de morte, de um monte de coisa aí, que eu não sei se isso é um grupo, uma máfia. Não sei que diabo é isso. Eu só sei que, lá em Bequimão, ele atua dessa forma”, afirmou, na época, o candidato a vice de Robson Cheira.

FRAUDE CONTRA O INSS
Nestor foi enfático ao afirmar que as fraudes praticadas pelo hoje companheiro de chapa são recorrentes em Bequimão. Segundo ele, o golpe fez vítima até dentro da sua casa. “O que é notório, é trivial lá em Bequimão… essa questão do INSS. Ele mexeu dentro da minha casa. Tem uma menina que mora lá há dez anos, que o marido dela morreu. Simplesmente, ele conseguiu a pensão pra ela e faz um empréstimo. Pessoas que já morreram há não sei quantos anos, aposentadorias falsas, enfim. Essa farra. Isso não sou eu. Se você for a Bequimão, você pergunta: ‘Quem é o vereador Cheira, Robson Cheira?’. Todo mundo vai dizer”, afirmou “Sinhô”, durante a entrevista.

CAMPANHA CAI POR TERRA 
Para a aventura eleitoral, Robson Cheira e Sinhô escolheram o slogan de campanha: “uma nova cara, um novo jeito”, sob o pretexto de instituir um novo modelo de administração para o município de Bequimão. Uma nova maneira de fazer política que os próprios correligionários ainda desconhecem a menos de trinta dias do pleito. Candidatos da “onda azul” não são capazes de apresentar uma única solução para a vida dos bequimãoenses.

“O meu futuro eu tenho certeza que era brilhante. Eu chegaria a ser prefeito em Bequimão, porque eu tenho credibilidade”, disse Nestor Júnior, em um dado momento da entrevista, que rememorou o conflito com Robson Cheira e caiu feito bomba no colo da coordenação de campanha, durante a processo eleitoral deste ano.

Com discurso ambíguo e alianças contraditórias, o sonho de Sinhô de sentar na cadeira de vice-prefeito deve ser adiado. A máxima de que o povo tem memória curta não se aplica a tempos modernos, quando a tecnologia faz parte do cotidiano. Ele mesmo tratou de desmascarar o comparsa.

 

Leia mais notícias em www.dalvanamendes.com e siga nossas páginas no Facebook, no YouTube e no Instagram. Envie informações à Redação do Blog por WhatsApp pelo telefone (98) 98784-1834.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *