Em plena pandemia, Beka Rodrigues gastou quase R$ 200 mil com leite, café, refrigerantes e outros itens na Câmara de Raposa

Em plena pandemia, Beka Rodrigues gastou quase R$ 200 mil com leite, café, refrigerantes e outros itens na Câmara de Raposa

Vereador Benoniel Beka Rodrigues (PCdoB), presidente da Câmara de Raposa

A Câmara Municipal de Raposa, que tem como presidente o vereador Benoniel Beka Rodrigues (PCdoB), pagou, em tempos de pandemia do coronavírus, uma verdadeira fortuna (R$ 193.284,50), ou seja, quase R$ 200 mil reais para a empresa L.C.CHAVES – ME (DLX SERVICOS DIVERSOS), na compra de itens como leite líquido, café, açúcar, biscoito cream craker, manteiga, botijão de gás, água mineral, refrigerantes, adoçante e coador de café, só em 2020. A empresa, estabelecida em São Luís, no Residencial Pinheiros, na Cohama, tem como atividade principal: Instalação e Manutenção Elétrica.

Sabemos que a pandemia do coronavírus diminuiu as ações nas repartições públicas, para manter a segurança de funcionários e do público, entretanto, o vírus mortal que parou o mundo não conseguiu poupar os cofres da Câmara Municipal de Raposa e muito menos o apetite devorador do presidente Beka Rodrigues.

Sede da empresa L.C.CHAVES – ME (DLX SERVICOS DIVERSOS), que na verdade é um imóvel residencial, sem deposito, sem mercadorias estocadas.

4.320 litros de leite “consumidos” na Câmara

Só com leite líquido para cafezinho, Beka gastou do dinheiro da Câmara R$ 18.720,00. Foram 360 caixas contendo 12 caixas de 1 litro, totalizando 4.320 litros de leite. Algo no mínimo estranho para uma Câmara pequena, formada por apenas 11 vereadores, com pouquíssimos funcionários que aparecem para trabalhar e raramente visitada pelo público, ainda mais durante a pandemia.

O consumo exagerado do leite na Câmara de Raposa tem sido um assunto muito comentado nas redes sociais da cidade, mas é radicalmente evitado pelos funcionários da Casa.

650 fardos de refrigerante

Além do alto consumo de leite, valores pagos por outros itens chegam a ser escandalosos, como por exemplo a compra de refrigerantes, ainda no mesmo período de pandemia. Beka Rodrigues pagou mais de R$ 38 mil reais por 650 fardos da bebida gaseificada.

10 mil coadores de café

Um outro exemplo, quando se trata dos gastos da Câmara de Raposa, é a misteriosa compra de coadores de café. Beka Rodrigues gastou R$ 12.500,00 com este item. Foram 500 caixas do produto, cada uma contendo 20 unidades. Assim, o presidente Beka usou espantosas 10 mil unidades de coadores de café, tudo bancado com o dinheiro público. A farra com o dinheiro do povo raposense foi promovida em plena pandemia.

VEREADORES EM AÇÃO

Vereadores da Raposa dentro da empresa L.C.CHAVES – ME (DLX SERVICOS DIVERSOS) interrogando o marido da proprietária da empresa.

Com base no que os vereadores Daniel Fernandes (PL), Laurivan Uchoa (PRB), Rosa do Araçagi (PDT), Doutor (PDT), Iran Agrela (PL) e Ribamar (PCdoB), analisaram em relação aos gastos da Câmara de Raposa em 2020, foi descoberto que a mesma empresa que forneceu itens de consumo como leite, café, água mineral dentre outros, continua fornecendo para a Casa Legislativa, em 2021, por meio de carta convite. O problema é que os vereadores perceberam que as quantidades dos produtos comprados pelo presidente Beka Rodrigues, estão fora da realidade da Câmara e com valores assustadores.

Os vereadores não têm acesso às notas fiscais das compras realizadas em 2021, para que possam fazer o comparativo com o que foi comprado em quantidade elevada no ano de 2020, como por exemplo a quantidade de copos descartáveis. Em 2020, Beka pagou mais de R$ 50 mil reais na compra de caixas do produto, algo que dificilmente seria consumido em sua totalidade, na Câmara de Raposa, em plena pandemia ou mesmo sem pandemia.

Na sexta-feira (22), os vereadores da Raposa visitaram as sedes de algumas empresas que fornecem para a Câmara do município em busca de informações, e descobriram que a  empresa L.C.CHAVES – ME (DLX SERVICOS DIVERSOS) funciona em um imóvel residencial, sem nenhuma estrutura, sem deposito de mercadorias, sem produtos estocados, sem condições visíveis para fornecer os itens comprados e pagos pelo presidente da Câmara de Raposa.

Gaeco, Ministério Público e Polícia Federal

Após as diligencias nas sedes de algumas empresas que fornecem para a Câmara Municipal de Raposa, os vereadores seguiram em visitas ao GAECO (O Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas do Ministério Público do Maranhão) e também à Polícia Federal em busca de orientações sobre os procedimentos para investigar de forma legal os gastos realizados pelo presidente Beka Rodrigues.

Vereadores da Raposa na sede da Polícia Federal

Nesta segunda-feira (25), os vereadores devem se dirigir ao Ministério Público de Raposa, para tratar do caso que tem deixado a sociedade raposense assustada por conta dos valores e quantidades de produtos que visivelmente estão fora da realidade de consumo da Casa Legislativa.

O simpático povo de Raposa merece explicações sobre estes gastos postados nesta matéria e também sobre os próximos gastos espantosos que o blog publicará nos próximos dois dias.

Veja abaixo algumas notas fiscais que comprovam o teor da matéria e uma tabela de produtos, com quantidades compradas e valores pagos pelo presidente da Casa, vereador Beka Rodrigues.

Notas Fiscais:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *