Nova diretoria do Instituto de Ciências do Mar da UFMA toma posse na Cidade Universitária

Nova diretoria do Instituto de Ciências do Mar da UFMA toma posse na Cidade Universitária

Tomou posse, na última segunda-feira, 23, na sala de reuniões da Reitoria, a nova direção do Instituto de Ciências do Mar da UFMA (ICMar), que contará com o professor Danilo Correa Lopes, do curso de Engenharia de Pesca da UFMA, Câmpus de Pinheiro, como novo diretor, além do docente Antônio Carlos Leal, do curso de Oceanografia, como vice-diretor, e do engenheiro de pesca do Câmpus de Pinheiro Fabiano Araújo França, como secretário do Instituto na UFMA.

A nova direção já adiantou, na ocasião, que um de seus principais objetivos será expandir, integrar e aperfeiçoar o ensino, a pesquisa e a extensão da Universidade com a criação de um novo comitê junto a órgãos do Estado do Maranhão, como a Marinha e a Secretaria Estadual do Meio Ambiente.

Danilo Lopes enfatizou que, com planejamento e diálogo com os outros órgãos do estado, os cursos que envolvem a ciência do mar vão estar mais completos e inseridos nos trabalhos que vão ser desenvolvidos pelo navio Ciência do Mar II, que é gerido pela UFMA por meio do ICMar e que facilita as aulas práticas e a formação dos estudantes de ciências marítimas, permitindo o manuseio e a operação de equipamentos de uso rotineiro em atividades científicas, como coleta, processamento e armazenamento de amostras biológicas e de dados.

A embarcação tem capacidade para dezoito pessoas, entre alunos e professores, além de oito tripulantes, totalizando 26 pessoas, e também tem por proposta beneficiar alunos e professores das instituições da região Norte do Brasil, além do Maranhão e do Piauí. “Nós temos a missão de montar uma comissão que vai trabalhar para a criação do regimento do navio Ciência do Mar. Além de expandir a questão do ensino, nós precisamos fazer parcerias para otimizar o uso dessa embarcação, principalmente na costa norte do Piauí e do Maranhão. Nossos parceiros vão entrar firmemente nesse apoio para melhorarmos e reformularmos as questões dessa embarcação, em termos de equipamentos específicos direcionados à pesquisa”, afirmou o novo diretor.

Para o reitor Natalino Salgado, que esteve trabalhando desde o começo do projeto do navio para que a UFMA estivesse à frente da gestão da embarcação, facilitar que o barco esteja mais próximo dos cursos e dos alunos é de extrema importância para o ensino da Universidade. “Quando eu estava à frente da reitoria, em 2014, assinei o contrato de construção do navio junto com o Ministério da Educação. Queremos, agora, institucionalizar a gestão desse navio, para que possamos, junto com os cursos de ciências do mar, com a Secretaria e a Marinha, atender à finalidade dele, que são as pesquisas e a inserção dos nossos alunos nas práticas acadêmicas”, concluiu.

O secretário Estadual do Meio Ambiente, Rafael Carvalho Ribeiro, firmou compromisso com a instituição e comentou que essa parceria é uma obrigação não apenas para a Universidade, mas também para toda a sociedade e o meio ambiente. “Eu acredito que a Secretaria vem a cumprir sua grande função social prestando apoio à academia. Esse é o patamar a que nós queremos chegar, em especial com relação ao controle nos problemas de balneabilidade dentro da linha litorânea. O navio vai poder nos ajudar a fortalecer nossas ações”, declarou.

Saiba mais

Em sessão de 30 de outubro, o Conselho Universitário (Consun) criou o Instituto de Ciências do Mar como empreendimento capaz de cumprir demandas gerenciais nos moldes já adotados por outros Institutos Federais de Ensino Superior que gerenciam embarcações de pesquisa e laboratórios de ensino flutuantes, viabilizando a gestão eficiente, atendendo às necessidades para o desenvolvimento das atividades inerentes a esse ambiente na UFMA.

O ICMar tem característica sustentável para o desempenho de suas atividades. O navio oceanográfico traz consigo aporte financeiro inicial para dar sustentação operacional nos primeiros anos. É ele, também, fonte e meio de captação de investimentos, nos âmbitos nacionais e internacionais, em projetos de pesquisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *